30.08.09

 

“Pacifismo ensina as pessoas a não fazer distinção entre o derramamento de sangue inocente e o derramamento de qualquer sangue humano. Desta maneira o pacifismo corrompeu um número enorme de pessoas que não vai agir de acordo com seus princípios.”

Elizabeth Anscombe

 

 

Sara Galvão, 22 anos, filha e estudante de Coimbra, toca saxofone desde os 9 anos, tocou violino por quatro e escolheu cinema como caminho. Querem melhor introdução do que esta?

Como júri-jovem no Festival Imago confirmou a sua escolha e cruzou caminhos até à Décima Segunda Província.

Foi entrevistada em Londres, onde estuda Filmmaking na London Film Academy.

A derradeira contribuição para a paz mundial? Uma árdua gestão de equipas? Um trabalho por vezes artesanal? Mas afinal o que é o cinema? E cinema...em Londres?

Esta é só a primeira parte.

 

 

### OUVIR Ver claro é não agir

 

 

*Músicas

Iron Wine – Naked as we come

Hugh Laurie – paródia a Bob Dylan?

sinto-me: A agarrar as horas
música: Iron Wine & Hugh Laurie
publicado por Alex às 19:40

25.08.09

 

“Em baixo fogos trémulos nas tendas

Ao largo as águas brilham como pratas

E a brisa vai contando velhas lendas

De portos e baías de piratas

(...)

Ao longe a cidadela dum navio

Acende-se no mar como um desejo

Por trás de mim o bafo do estio

Devolve-me à lembrança o Alentejo”

 

Porto Covo – Música de Rui Veloso / Letra de Carlos Tê

 

 

De Lisboa a Porto Covo num Renault Clio preto como um cavalo selvagem, vidros empoeirados, motor a rugir do alto da sua antiguidade, e um leitor de K7’s frenético.

A mesma cassete todos os Verões? Ou a cassete de todos os Verões?

Ainda há Lagoas Azuis por descobrir.

 

 

### OUVIR A Banda Sonora de Verão 

 

 

*Foto de João Palmela

sinto-me: Como nos velhos tempos
música: Intemporal
publicado por Alex às 23:04

09.08.09

 

“Homie, I don't know, she's hot and cold”

Kanye Omari West

 

O tempo da terra e o tempo do mar. Como é viver a dois tempos?

Voltamos a bordo do Pride of Bilbao entre Espanha e Inglaterra.

Navegamos na multiculturalidade nesta segunda parte da entrevista com Tatiana Sequeira.

A nação basca é outro Portugal? Os filipinos como são? Os latvios? Qual é o ponto sem retorno de cada um? Onde se contrói a estabilidade?

A Décima Segunda Província ganhou mais uma capital.

 

 

### OUVIR São lágrimas de Portugal

 

 

*Músicas

Interpol - Rest My Chemistry

Sigur Ros – Saeglopur

sinto-me: Expectante
música: Sigur Ros & Interpol
publicado por Alex às 20:28

02.08.09

 

Vós sois, ambos os dois, discretos tenebrosos;

Homem, ninguém sondou teus negros paroxismos,

Ó mar, ninguém conhece os teus fundos abismos;

Os segredos guardais, avaros, receosos!

 

E há séculos mil, séc'ulos inumeráveis,

Que os dois vos combateis n'uma luta selvagem,

De tal modo gostais n'uma luta selvagem,

Eternos lutador's ó irmãos implacáveis!

 

Charles Baudelaire, in "As Flores do Mal"

Tradução de Delfim Guimarães

 

 

Tatiana Sequeira, 30 anos, nascida em Angola, veio para Braga aos 2 anos e Cascais aos 13 anos. Entrevistada em...Setúbal. E onde trabalha? Entre Espanha e Inglaterra.

Inglaterra e Espanha? Quem trabalha entre dois países? Entre duas nações com um mar a separá-las? Agora já o sabemos.

Esqueçam os emigrantes e os imigrantes, o mundo divide-se sim noutras duas categorias: pessoas da terra e pessoas do mar.

A Tatiana é uma pessoa do mar, trabalha no Pride of Bilbao, um Ferry, com a ligação Portsmouth (Inglaterra) –Bilbao (Espanha).

Neste velho/novo mundo os valores são outros, o tempo é outro e a multiculturalidade é absoluta. Pode um barco representar todo o mundo?

Esta é a primeira parte da entrevista.

 

 

### OUVIR Homem livre, tu sempre gostarás do mar 

 

 

*Músicas

Kings of LeonOn call

The Arcade Fire My body is a cage

sinto-me: Marujo
música: Kings of Leon & The Arcade Fire
publicado por Alex às 17:45

01.08.09

 

Quando o vi a mover-se fiquei atônito. Nunca vi um artista como o James Brown e ali mesmo eu soube que era isso o que eu queria fazer para o resto da minha vida.

Michael Jackson

 

 

Segunda parte da entrevista a Filipe Carvalho nos intervalos do seu fazer – tese em Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior Técnico.

Os austríacos e o peixe, as azeitonas italianas, o desafio do Finlandês e o culto da cerveja entre outras coisas muito menos interessantes como o ser Europeu.

Áustria versus Portugal: Ottakringer ou Superbock? Goesser ou Sagres? Stiegl ou o mito urbano chamado Cristal? E música à medida a cargo dos Fettes Brot.

Apresentamos também uma das concorrentes ao Poetry Slam do Festival do Silêncio: Andreia Barata com a peça Cabelos e Nós.

E não há nada como viajar em moonwalk.

 

 

### OUVIR A verdade corre a Maratona 

 

 

*Músicas

Fettes Brot Mit Modeselektor - Bettina

Fettes Brot - Emanuela

Michael Jackson - Rock With You

Michael Jackson - Billie Jean

sinto-me: Matutino
música: Fettes Brot & Michael Jackson
publicado por Alex às 14:40

A 12ª Província é um local. Tem a geografia da distância, do caminho, da saudade. Tem um tempo próprio na fronteira de cada pessoa. Não tem voz: tem ouvido. É o testemunho. De um povo andarilho espalhado pelo mundo: os portugueses.

A 12ª Província foi um programa de Alexandre Matoso.
Passou na Rádio Zero todas as Terças-Feiras às 20:30 entre Outubro de 2008 e Novembro de 2011.

Para qualquer informação: matoso.a@gmail.com

Facebook
Check-In
free counters
arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
mais sobre mim
blogs SAPO