14.04.09

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Por vezes à noite há um rosto / Que nos olha do fundo de um espelho / E a arte deve ser como esse espelho / Que nos mostra o nosso próprio rosto”. (Borges)

 

 

A Décima Segunda Província não é um local. Não tem geografia embora surja dela, da distância, do caminho, da saudade. Não tem tempo, os dias não passam por ela. Não tem voz: tem ouvido. É o testemunho. De uma língua, falada pelo mundo fora: o português.

 

 

### OUVIR Os sonhos fazem-se com recordações

   

 

Recuperámos as gravações em família de Henrique Matoso, feitas há uns 15 a 20 anos atrás, de vozes que já cá não estão, de outras que envelheceram, de um mesmo cantar de pássaro, de um ladrar amigo e de uma rádio que existiu.

  

Como Vitor Hugo disse, “as nossas quimeras são o que se parece mais connosco”.

sinto-me: Criança
música: Rua do Pinhal
publicado por Alex às 12:40

gostei de reviver
Anónimo a 24 de Maio de 2009 às 20:23

A 12ª Província é um local. Tem a geografia da distância, do caminho, da saudade. Tem um tempo próprio na fronteira de cada pessoa. Não tem voz: tem ouvido. É o testemunho. De um povo andarilho espalhado pelo mundo: os portugueses.

A 12ª Província foi um programa de Alexandre Matoso.
Passou na Rádio Zero todas as Terças-Feiras às 20:30 entre Outubro de 2008 e Novembro de 2011.

Para qualquer informação: matoso.a@gmail.com

Facebook
Check-In
free counters
arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO