20.10.09

 

O nome mais acertado para Realizador é Director – como os brasileiros dizem.

Francisco Pacheco, 31 anos, “tripeiro de gema”, estudou Som e Imagem na Universidade Católica do Porto.

Entrevistado pela 12ª Província no topo de um prédio em Londres.

A seguir ao Porto, a cidade que mais gosta é o Rio de Janeiro – onde fumar é coisa reles.

Trabalhou no Brasil em cinema como assistente de realização, sediado em Ipanema.

Único português no set do filme Primo Basílio adaptado a...S. Paulo dos anos 50.

Confirmado para assistente de realização no Tropa de Elite (!) – é pena a equipa ter sido assaltada e sequestrada.

Depois veio a inscrição no Inov Contacto e a cidade onde vive actualmente.

Esta é a primeira parte.

 

 

OUVIR Na cara não! Pra não estragar o velório!

 

 

*Música

Led Zeppelin - Ramble On

Marisa Monte - Para Ver As Meninas

Bob Dylan - Lay Lady Lay

**Título retirado do filme Tropa de Elite

***Fotografia original aqui.

sinto-me: Sempre a Aprender
música: Led Zeppelin - Marisa Monte - Bob Dylan
publicado por Alex às 22:51

19.09.09

“Carlos Santos não foi só o realizador. Representou o papel de D. Pedro e convenceu o mais prestigiado actor do nosso teatro declamado de então - Eduardo Brazão - à época, seu padrasto, a fazer o papel do rei D. Afonso IV. Para Inês de Castro, escolheu a própria mãe, a actriz Amélia Vieira, que Brazão queria impor.”

 

João Bénard da Costa sobre o primeiro filme histórico realizado em Portugal – “Rainha depois de morta” em 1910, in Histórias do Cinema

 

 

Segunda parte da entrevista a Sara Galvão, estudante de Filmmaking na London Film Academy em Londres.

Já alguma vez tinham pensado como as legendas roubam espaço ao filme? Eu não. Sabem porque é que Portugal legenda os filmes e Espanha dobra-os? Agora já sei. Qual é o paradigma do cinema português? Boa pergunta. E a vida em Londres, na velha Europa? Benvindos à Décima Segunda Província.

  

 

### OUVIR Os bastardos são a guerra

 

 

*Músicas

Olivier bernet, do filme PersepolisLove and Hate

Vancouver Film SchoolDancing animals in love

Johnny Cash - Hurt

sinto-me: Concentrado
música: Bernet, VFS e Johnny Cash
publicado por Alex às 11:25

30.08.09

 

“Pacifismo ensina as pessoas a não fazer distinção entre o derramamento de sangue inocente e o derramamento de qualquer sangue humano. Desta maneira o pacifismo corrompeu um número enorme de pessoas que não vai agir de acordo com seus princípios.”

Elizabeth Anscombe

 

 

Sara Galvão, 22 anos, filha e estudante de Coimbra, toca saxofone desde os 9 anos, tocou violino por quatro e escolheu cinema como caminho. Querem melhor introdução do que esta?

Como júri-jovem no Festival Imago confirmou a sua escolha e cruzou caminhos até à Décima Segunda Província.

Foi entrevistada em Londres, onde estuda Filmmaking na London Film Academy.

A derradeira contribuição para a paz mundial? Uma árdua gestão de equipas? Um trabalho por vezes artesanal? Mas afinal o que é o cinema? E cinema...em Londres?

Esta é só a primeira parte.

 

 

### OUVIR Ver claro é não agir

 

 

*Músicas

Iron Wine – Naked as we come

Hugh Laurie – paródia a Bob Dylan?

sinto-me: A agarrar as horas
música: Iron Wine & Hugh Laurie
publicado por Alex às 19:40

A 12ª Província é um local. Tem a geografia da distância, do caminho, da saudade. Tem um tempo próprio na fronteira de cada pessoa. Não tem voz: tem ouvido. É o testemunho. De um povo andarilho espalhado pelo mundo: os portugueses.

A 12ª Província foi um programa de Alexandre Matoso.
Passou na Rádio Zero todas as Terças-Feiras às 20:30 entre Outubro de 2008 e Novembro de 2011.

Para qualquer informação: matoso.a@gmail.com

Facebook
Check-In
free counters
arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
mais sobre mim
blogs SAPO