27.10.11

 

 

“As Nações Unidas não foram criadas para nos levarem ao Céu, mas para nos salvarem do Inferno”

- Dag Hammarskjold, Secretário Geral das Nações Unidas, 1954

 

Após a vitória do referendo para a independência da Bósnia-Herzegovina em 1992 as forças Sérvias invadiram o país. Com os massacres de Srebrenica e Markale a NATO não teve outra opção senão intervir em 1995 no conflito mais longo e violento da Europa desde o fim da II Guerra Mundial. Assim foi chamado, entre outros, o batalhão de David Fraga dos Santos.

 

Nesta segunda parte na 12ª Província, acompanhamos as missões depois de Timor: Bósnia e Kosovo.

 

Um novo aprontamento para uma zona urbana, que também inclui a aprendizagem da cultura dos países. Já no teatro de operações aprendemos a importância do contacto diário com a população para o Exército, as missões e, mais uma vez, a aposta na (re)construção e cuidados médicos.

 

Entre missões, a volta ao quartel em Viseu: os part-times, a vida na cidade, o treino contínuo, o lema e a cultura de uma Companhia, os rituais de entrada de um novo elemento, a rivalidade saudável, a formação e recrutamento de um batalhão para uma nova missão.

 

Após a Bósnia, rumo ao conflito no Kosovo também originado pelo choque de etnias. Surgem-nos os patrulhamentos apeados, a realidade do tráfico de mulheres e armas nas fronteiras, a necessidade da neutralidade e, o mais importante, a esperança na juventude do pós-guerra.

 

 

OUVIR A Guerra

(Para guardar, botão direito do rato, Guardar destino como...25.6MB)

 

 

*Música

50 Cent - Many Men

Hélder Rei Do Kuduro - Frique Frique (Não vacila)

sinto-me: Convalescente
música: 50 Cent & Kuduro
publicado por Alex às 16:50

19.10.11

 

«Ai se tu soubesses como é lindo o Evangelho dos pobres...Se tu tivesses a experiência estupenda que este Evangelho tem...os montes caminhariam à tua frente e tu, silencioso, com a chave do mundo na mão, cantarias vitória...»

- Padre Américo

 

David Fraga dos Santos, 31 anos, assistiu à independência de três países.

Com uma carreira de 10 anos no Exército fez missões em Timor, Bósnia e Kosovo.

Nascido na Arruda dos Vinhos, criado na Casa do Gaiato do Tojal, aos 19 anos enveredou pela vida militar. Nesta primeira parte na 12ª Província acompanhamos a sua primeira missão depois do curso de Atiradores: Timor.

Uma missão com responsabilidade acrescida tanto pela História como pelo carinho dos timorenses pelos portugueses. O Exército com uma dupla função: segurança e, igualmente importante, (re)construção.

Aprendemos a estrutura de um pelotão, a importância dos aprontamentos, do treino contínuo, dos códigos, da construção de confiança e do trabalho em equipa na Guerra Moderna. Ficamos também expostos ao negócio da Guerra, começando pela inflação descontrolada com a presença do Exército.

Relato na primeira pessoa da guarda de uma fronteira com a Indonésia: o rasto dos indonésios, a importância da Igreja em Timor, o treino do exército timorense, as raras comunicações com o exterior, a presença da língua portuguesa e a amizade com a população local. Também há espaço para momentos de lazer e umas férias bem passadas em Bali.

Aproveitamos para anunciar que o batalhão que foi para Timor há praticamente 10 anos vai reunir-se finalmente em Viseu no dia 23 de Outubro deste ano.

 

 

OUVIR Destros e Audazes

(Para guardar, botão direito do rato, Guardar destino como...25.6MB)

 

 

*Música

Xutos e Pontapés - Por quem não esqueci

sinto-me: Atento
música: Xutos e Pontapés
publicado por Alex às 00:21

01.10.11

 

 

“If I’d asked people what they wanted, they would have said a faster horse.”

— Henry Ford

 

Nesta última parte com Maria Bruno Néo, acompanhamos a sua passagem pelo Estúdio de Edward van Vliet na Holanda, originada por umas das suas idas à Feira do Design de Milão.

A energia do Verão em Amesterdão, a chuva, as bicicletas, as lojas em 2ª mão e os stroopwafels com chá.

Saltamos depois entre um inter-rail pela Escandinávia, os mercados de Camden Town, bolinhos chineses na Chinatown e gelados em Itália (confere, são parecidos com o Santini).

Falamos também sobre as saudades de Portugal, os portugueses no estrangeiro, a criação de um estilo próprio e planos futuros.

Já agora, na semana passada, a Maria foi uma das vencedoras do concurso da Front Row Society no design de uma mala.

Podem encontrar mais sobre o seu trabalho aqui.

 

 

OUVIR Coragem

(Para guardar, botão direito do rato, Guardar destino como...25.6MB)

 

 

*Música

The Whitest Boy Alive – Courage

sinto-me: De Fim-de-Semana
música: The Whitest Boy Alive
publicado por Alex às 18:12

A 12ª Província é um local. Tem a geografia da distância, do caminho, da saudade. Tem um tempo próprio na fronteira de cada pessoa. Não tem voz: tem ouvido. É o testemunho. De um povo andarilho espalhado pelo mundo: os portugueses.

A 12ª Província foi um programa de Alexandre Matoso.
Passou na Rádio Zero todas as Terças-Feiras às 20:30 entre Outubro de 2008 e Novembro de 2011.

Para qualquer informação: matoso.a@gmail.com

Facebook
arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
mais sobre mim
blogs SAPO